Blog

4 técnicas de administração para começar a usar imediatamente

4 técnicas de administração para começar a usar imediatamente

Compartilhe:

Todo empreendedor que deseja ver o crescimento da empresa precisa de técnicas de administração. São elas que mostram a capacidade de gestão dos seus responsáveis, além de ser uma forma de buscar a dinâmica de grupo ideal.

E a grande vantagem ao utilizar tais técnicas é que elas se adaptam facilmente a qualquer tipo de administrador. Para mostrar essa versatilidade, vamos mostrar algumas ferramentas que vão ajudá-lo a se tornar um gestor ainda mais competente.

Técnicas de administração

1 – Árvore de Decisão

Esta técnica é muito eficiente para tomada de decisões importantes dentro do negócio. Basicamente, ela lida com probabilidades de custos, riscos e benefícios de cada decisão e, a partir  desses fatores, escolhe qual é a mais adequada para a realidade do negócio.

Elaborar uma árvore de decisão exige uma análise prévia da empresa, com seus dados mais recentes de crescimento, além das metas que pretende atingir dentro de um prazo determinado. A partir dessas informações, as decisões podem ser definidas com mais clareza, bem como as probabilidades cabíveis dentro dela.

2 – Balanced Scorecard

É uma tática muito importante a se considerar quando os objetivos do negócio, bem como as metas e métodos empregados pela mesma, não se encontram. O Balanced Scorecard analisa o desempenho da empresa de acordo com seus próprios objetivos.

Para realizar uma boa análise, são determinados fatores como Capacidade Profissional da Equipe; Processos Internos do dia a dia da empresa; Satisfação dos Clientes; Análise Financeira, entre outros.

Essa análise, comparada aos objetivos iniciais da empresa, determinará o seu avanço real, bem como as ações que devem ser tomadas de acordo com eles.

3 – Análise SWOT

Esta técnica é aplicada na fase de planejamento do negócio, bem como na organização de novos ciclos e planos de ação da empresa. A análise SWOT determina de uma forma ampla, quais são as possibilidades do negócio, tanto nos aspectos internos, como nos externos.

SWOT é uma sigla que determina esses pilares do empreendimento, que serão exemplificados a seguir. É importante ressaltar que a análise SWOT deve ser feita constantemente, a cada novo ciclo de administração conforme indicado.

 

  • Strengths: são as forças do seu negócio, as características de peso que farão frente à concorrência;
  • Weaknesses: são as fraquezas da empresa, os pontos fracos que invariavelmente serão explorados pelos concorrentes, aos quais os gestores precisam se atentar;
  • Opportunities: são as possibilidades que o mercado oferece e como o empreendimento irá explorá-las para garantir melhores resultados;
  • Threats: são os riscos que a empresa corre, desde as capacidades dos concorrentes, até as ameaças do próprio mercado.

 

4 – Benchmarking

Funciona de forma similar à análise SWOT, porém direcionado totalmente a avaliar ações e estratégias da concorrência. Basicamente, as estratégias de Benchmarking procuram os processos internos e as ações de marketing, além de comparar produtos e serviços de outras empresas com a sua.

O Benchmarking é importante para ter uma noção das ferramentas que outros negócios utilizam. Em suma, elas aumentam a competitividade, uma vez que os concorrentes certamente farão o mesmo processo com seu negócio.

 

Essas técnicas de administração cobrem facilmente diversos processos dentro da empresa, e podem tornar sua administração mais fácil, principalmente em longo prazo, quando os resultados das metas surgem de forma gradativa e mais clara. Portanto, não deixe de buscar formas mais práticas de levá-lo adiante, com benefícios mais claros.

Até a próxima!

Assine nossos materiais